Como criar loja virtual – o que saber antes de criar sua loja online

  • Olá! Decidi fazer um novo post sobre este assunto, pois o post antigo que criamos sobre isso estava bem desatualizado e faltava falar de muitas coisas. Mas, como o assunto é muito extenso acabei deixando esse post bem grande, como você pode ver.

    Grosseiramente falando, o que você precisará inicialmente é de:


    Uma hospedagem, um sistema de loja virtual e produtos para vender. Tão simples assim? Bem, sim, e não. Tecnicamente é só isso, mas por trás existem decisões a serem tomadas. Esse post vai tratar da Hospedagem e sistema de loja virtual pois estou levando em consideração que você já tenha algo para vender.

    A hospedagem

    Todos os sites existentes na Internet, inclusive lojas virtuais, precisam ser hospedados em algum lugar. A hospedagem é o local onde o sistema de loja virtual e banco de dados estarão armazenados.

    O valor do servidor de hospedagem varia bastante, e a qualidade dele é extremamente importante para que seu site esteja sempre disponível. Quanto mais um site tem visitas, mais é necessário melhorar o tipo de hospedagem para que sua loja mantenha-se sempre online. Tem algumas empresas que fazem ofertas de loja online que já incluem a parte de hospedagem, o que na minha opinião é um risco grande pois isso acaba centralizando tudo numa só empresa. Acredito que o ideal é você contratar sua própria hospedagem, sem ter intermédio de terceiros para isso.

    Atenção: você só precisará assinar uma hospedagem caso decida ter seu “próprio” sistema de loja virtual (por “próprio” eu me refiro a um sistema que não seja contratado por alguma empresa, e sim um sistema OpenSource, como você verá numa explicação mais abaixo).

    E como eu inicio?

    Caso você opte por ter sua própria loja virtual, precisará ter também sua própria hospedagem. Nós indicaremos uma que já conhecemos há um bom tempo, da qual somos clientes: Locaweb.

    Os melhores sistemas OpenSource de lojas virtuais (que você verá o significado mais abaixo) pedem uma hospedagem Linux. Então, em qualquer empresa de hospedagem que você for assinar (seja Locaweb ou qualquer outra), escolha a opção de “Hospedagem Linux” (isso não tem nada a ver com o sistema operacional de seu computador).

    Você pode começar com o plano mais simples (que na Locaweb custa R$ 29/mês na data dessa postagem), e você pode ir aumentando o plano de acordo com a necessidade.

    Cuidado: não caia na conversa de “hospedagem grátis”. Não que sejam uma mentira, mas a qualidade dessas hospedagens não chega nem perto do que você vai precisar para sua loja virtual. Pense nisso com carinho e à longo prazo. Pegue uma hospedagem de qualidade!

    Passarei aqui outras indicações para hospedagem, já avisando que não temos nenhuma experiência com estas, mas são bem conhecidas e recomendadas por alguns amigos:

    RedeHost;
    HostNet;
    DialHost;
    GigaHost;

    A escolha do sistema para sua loja virtual

    Hoje em dia existem muitas formas para se ter uma loja virtual, inclusive soluções gratuitas. Mas é importante tomar cuidado com essa escolha logo no começo, para que à longo prazo não tenha problemas. Em muitos casos o barato pode sair bem caro, e até mesmo resultar em um desmoronamento total de sua loja.

    Existem basicamente 4 formatos principais que as empresas oferecem para se montar uma loja virtual. Discorrerei brevemente sobre cada uma:

    1) Sistemas gratuitos:

    Trata-se daqueles sites com os seguintes dizeres: “Faça sua loja virtual grátis”, onde você cria uma loja virtual em poucos minutos. Este tipo de sistema pode ser usado para fazer testes no mercado.

    Vantagens:

    • Gastos bastante minimizados ou nulos;
    • Sem necessidade de contratar uma hospedagem;
    • Pronta para começar a cadastrar produtos assim que fizer o cadastro;

    Desvantagens:

    • Você provavelmente não terá como ter um domínio próprio para sua loja, e isso é de extrema importância. Ter um domínio próprio é essencial, independente do tamanho de seu negócio.
    • Dependência total da empresa desenvolvedora do sistema;
    • Sem garantias com relação ao que cadastrou. Em caso de troca de sistema, provavelmente perderá tudo o que foi feito;
    • Na maioria das vezes, estes sites de lojas gratuitas não tem nenhum suporte, deixando seus usuários à deriva;
    • Sem possibilidade de personalização completa de funcionalidades. Algumas até dão algumas opções para mudar o layout, mas ainda assim a estrutura visual é a mesma, e é mais difícil (talvez impossível) uma mudança visual mais audaz;
    • Não existe a possibilidade de acrescentar funcionalidades no sistema, ou seja, se você tiver um crescimento nos negócios estará à mercê de um sistema fechado onde ninguém poderá lhe oferecer nenhum serviço;
    • Sem possibilidades de exportar nem importar base de dados, em caso de você precisar mudar de sistema;

    Conclusão

    Não aconselhamos seu uso caso você queira de fato entrar no mundo do comércio eletrônico. Não existe perspectiva de crescimento nestes sistemas. Esse tipo de loja talvez só seja bom para fazer testes.

    Como eu começo neste sistema?

    É fácil encontrar sites assim, basta digitar algo como “loja virtual grátis” nos mecanismos de busca, e uma chuva de opções aparece. Reforço que esta não é uma boa opção caso você queira iniciar seu negócio online seriamente.

    2) Sistemas por mensalidade

    São empresas que oferecem sistemas “completos” de loja virtual, e as mensalidades são variadas. Coloquei “completos” entre aspas porque cada tipo de lojista pode precisar de uma coisa diferente, e os sistemas oferecidos por estas empresas nem sempre vão suprir essas necessidades. Cada empresa tem algo diferente a oferecer, umas cujos sistemas foram criadas por elas mesmas, outras cujo sistema foi adaptado de alguma plataforma já pronta.

    Sobre este tipo de sistema, já vimos acontecer de lojistas começarem com uma loja aparentemente completa, pagando algum valor por mês. O lojista obviamente começa a cadastrar seus produtos com todo cuidado, divulgando a loja para todo lado. De repente, quando seu negócio começa a ter demandas por algum tipo de funcionalidade, a empresa (dona do sistema) não se dispõe a fazer, já que ela vende o mesmo sistema para vários clientes, e não seria negócio para eles serem flexíveis com um único lojista. Sem contar que o sucesso de uma loja virtual está diretamente relacionado à aparência (layout), e como a empresa (dona do sistema) nem sempre permite mudar muita coisa (nem permite contratar quem o faz), acabará ficando amarrada. E então entram os problemas caso você queira sair do sistema da empresa e migrar para outro. Como são essas empresas que fazem a hospedagem de sua loja, você não pode contratar outro profissional para mexer em seu sistema, ficando à mercê da boa vontade dos funcionários da empresa contratada.

    Vantagens:

    • Credibilidade. Você recebe uma loja por vezes extremamente completa e que funciona bem para muitos negócios;
    • Algumas empresas até se prontificam em fazer alterações específicas de layout pra você;
    • Essas empresas geralmente tem uma equipe especializada para dar suporte em caso de problemas.
    • Talvez a forma mais rápida de se conseguir uma loja profissional que já funciona bem;
    • Geralmente dão alguma opção de exportação da base de dados (caso você queira trocar de sistema), mas é importante verificar essa possibilidade antes da contratação.

    Desvantagens:

    • Dependência total da empresa;
    • Algumas vezes o número de transações permitidas mensalmente são limitadas;
    • Personalização limitada à capacidade da empresa;
    • Pouca ou nenhuma possibilidade de implementação de novas funcionalidades (vai depender da empresa responsável);
    • Se algum dia a empresa responsável pelo sistema fechar/falir, provavelmente não existirão profissionais especializados para te ajudar. Tudo o que foi feito em sua loja poderá ser perdido.
    • Você não tem controle sobre a hospedagem, pois sua loja fica hospedada com a empresa.
    • Você não pode mexer no código da loja, somente a empresa (dona do código) tem esse direito.

    Conclusão

    É uma boa opção para começar. Porém deve-se ficar atento ao que a empresa tem a oferecer caso seu negócio cresça (número de transações mensais, personalização, possibilidade de criar novas funcionalidades), ou que tipo de suporte eles dão caso você queira mudar de sistema (migração de banco de dados e migração de hospedagem). Mas a minha opinião pessoal é que este tipo de contrato, apesar de não ser ruim, pode amarrar sua loja e limitar um pouco suas possibilidades.

    Como eu começo neste sistema?

    Escolha a empresa que oferece as melhores condições para seu negócio. Ao escolher, siga as instruções da própria empresa. Cada uma pode ter diferentes maneiras de se começar. Algumas dicas de empresas do tipo (e já aviso que não tenho experiência com nenhuma delas) são:

    Iset
    Webstore
    Dotstore
    Loja Virtual Uol
    Fast Commerce

    3) Sistemas por comissao

    Esse tipo de loja é basicamente a mesma coisa do item 2 acima, com a diferença de que em vez de pagar por mês você paga pelo que vende. Algumas dessas são franquias, e você vende o produto que a própria empresa fornece. As vantagens e desvantagens são as mesmas do sistema por mensalidade. Infelizmente não sabemos muita coisa sobre este segmento, por isso não temos como colocar nossa conclusão ou formas de início.

    4) Sistemas OpenSource

    O termo OpenSource refere-se à sistemas de código aberto, ou seja, é um software de utilização livre. Isso significa que qualquer pessoa pode usar e contribuir com ele, seja no seu desenvolvimento, na correção de erros ou documentação. A única condição para isso é que a liberdade do código seja mantida. No caso de loja virtual, existem bons sistemas OpenSource disponibilizados gratuitamente.

    Vantagens:

    • Liberdade para contratar qualquer empresa que conhece o sistema para fazer modificações;
    • Você pode desenvolver qualquer funcionalidade que esteja faltando para incrementar sua loja;
    • Possibilidade de fazer personalizações ousadas na aparência. Na maioria dos casos, somente a imaginação (e a habilidade do webdesigner) é o limite.
    • Você pode hospedar o sistema onde achar melhor, ficando com a posse de seu banco de dados e códigos;
    • Você pode contratar alguém para importar todos os seus pedidos e produtos para um outro sistema OpenSource se assim necessitar;
    • Possibilidade de compra de módulos e templates do mundo todo;
    • Você pode fazer modificações no código e revender (desde que a liberdade no código seja mantida);
    • Os sistemas OpenSource geralmente contam com uma comunidade de muitas pessoas que conhecem o código. Com isso, você não corre o risco de ficar sem suporte já que existe muita gente criando novos módulos e templates o tempo todo. Poderá contratar profissionais não só do brasil mas do mundo todo.

    Desvantagens:

    • Necessidade de atualização constante (o que pode ser visto, de certa forma, como vantagem). Todo sistema OpenSource sempre recebe melhorias oficiais dos criadores. Essas melhorias são muitas vezes correções de falha de segurança. Mas acontece bastante de em alguma atualização vir muitas ferramentas novas.
    • A instalação deve ser feita pelo próprio dono da loja (ou por algum webdesigner contratado, o que é fácil de encontrar – vide ultimo item das vantagens acima).

    Conclusão

    Na minha opinião este tipo de sistema é sem dúvida o melhor, devido à liberdade que proporciona. Com um sistema OpenSource você é, de fato, dono da sua própria loja virtual. E se algum programador ou webdesigner não suprir suas necessidades, outro poderá ser contratado, sem necessidade de vínculo com nenhuma empresa já que o código e o banco de dados esta com você.

    Como eu começo neste sistema?

    Comece alugando um servidor (hospedagem), como eu disse mais acima, na parte onde expliquei sobre hospedagens. De início, o plano mais básico deve lhe servir. E fique atento, pois a hospedagem deve ser Linux, pois os melhores sistemas OpenSource que conheço devem ser instalados neste sistema (não se preocupe se seu computador tiver outro sistema operacional, isso realmente não tem ligação com a escolha da hospedagem). Alguns sistemas OpenSource de loja virtual que conheço são:

    OpenCart;
    Magento;
    OsCommerce;
    PrestaShop;
    VirtueMart;

    Coloquei o OpenCart em primeiro lugar não por acaso. É um sistema muito bom e que vem crescendo constantemente. A comunidade especializada nele cresce cada vez mais, o que nos garante que não ficaremos à ver navios caso haja qualquer necessidade de especialistas. É um sistema bem simples e fácil de entender (já o Magento, apesar de muito bom, acho um pouco complicado tanto para o desenvolvedor quanto para o lojista). Recomendo o OpenCart com toda a certeza. Meu carinho por este sistema cresce cada vez mais.

    Por se tratar de um sistema que necessita instalação manual via FTP, é recomendável contratar alguém para o serviço. Mas se você mesmo desejar se aventurar não é muito complicado não. Caso não tenha tempo para se aventurar na instalação de sua loja OpenCart nós podemos fazer isso para você, basta entrar em contato para fazermos um orçamento (somente para sistema OpenCart).

    Ou, caso queira aprender e fazer por si mesmo e ir mais a fundo, você pode fazer nosso curso de OpenCart que estará disponível em breve. Aqui ensinaremos desde a contratação de uma hospedagem, criação de banco de dados, instalação do sistema, instalação de módulos e templates, onde divulgar, e também falaremos sobre todas as funcionalidades do painel administrativo. Enfim, este curso é perfeito para quem está querendo iniciar uma loja virtual e quer ter o controle de tudo dispensando contratar alguém para isso.

    O dominio e a estabilidade da plataforma escolhida

    O domínio é o endereço fixo próprio da loja. Algo tipo “www.minhaloja.com.br”. É de extrema importância que você tenha um, pois isso simplifica o acesso a ela, melhora a posição nos mecanismos de busca, e também facilita a memorização e divulgação da mesma.

    Caso ainda não tenha um nome para sua loja/empresa, pense nisso com atenção (veja este post sobre o assunto, achei interessante: http://www.merkatus.com.br/10_boletim/184.htm). Se já tiver o nome da empresa, aconselho que o domínio seja exatamente o nome dela, ou algo muito próximo a isso.

    Como registro meu dominio?

    Caso você vá assinar alguma hospedagem, é bem provável que você ganhe um domínio com a 1ª anuidade grátis. Como assim? É que os domínios são pagos anualmente (de R$ 30 a R$ 45 por ano). E as empresas de hospedagem que conheço dão o 1º ano grátis ao assinar algum plano (nos anos seguintes você deve fazer a renovação, mas como você viu acima, é um valor bem amigável).

    Mas, e se você não for assinar uma hospedagem, como faço para ter meu domínio? Também é simples, e tudo o que você precisa é ter um CPF. Veja dois lugares onde você poderá fazer estes registros:

    Registro.br (.com.br, net.br, agr.br, art.br, edu.br, e outros)
    100br (.com, .net, .org, .info, .biz, .cc, .tv, .nu, .ws)

    Ao pegar seu domínio ele deverá ser configurado para que direcione para sua loja. Este serviço provavelmente será feito pela mesma pessoa que instalar seu sistema de loja virtual ou por você mesmo. Em nosso curso de OpenCart também ensinaremos como fazer este redirecionamento.

    Algumas dicas importantes na hora de comprar seu domínio são:

    • Registre domínios com nomes fáceis de se lembrar;
    • Registre vários domínios para proteger sua marca. Já pensou se você tem algo como “www.minhaloja.com.br” e aí vem alguém e registra o “www.minhaloja.com”? Não é só porque você tem um certo nome de empresa que este nome estará reservado para você. Seja precavido, registre no mínimo as opções “.com”, “.com.br” e “.net”.
    • Se acontecer de seu nome de empresa não estar disponível para registro significa que alguém já pegou. Não se desespere, seja criativo! Vou dar um exemplo prático: sua empresa é de joias e se chama “Pedrália”. Ao tentar registrar, já existia o domínio “pedralia.com”. Você pode registrar algo como “joiaspedralia.com”. E por aí vai.

    Porque evitar ficar trocando de plataforma ou de dominio?

    Por plataforma eu quero dizer sistema de loja virtual. Pode ser tanto seu sistema de lojas virtuais (como o OpenCart, que citei mais acima) quanto o sistema de um blog ou outro site.

    Quando você cria sua loja virtual na internet é criado um endereço fixo para cada produto (exemplo: www.minhaloja.com.br/categoria/nome-do-produto), e este endereço ganha importância à medida que o tempo passa. O Google, por exemplo, leva em consideração o tempo de vida do domínio como um dos critérios que podem lhe deixar em uma posição melhor que a de seu concorrente. Um site tende a ser mais valorizado à medida que o tempo passa.

    Existe um algoritmo no Google chamado Pagerank. Trata-se de uma forma de análise que permite ao Google definir qual é a importância de cada site, numa escala de 0 à 10, e é exatamente isso que influenciará na posição dos resultados de busca. Quanto mais você divulga o link de algum produto seu em algum site (grátis ou pago), mais valor sua página ganha, pois cada link direcionado para sua página conta como se fosse um voto para você aos olhos do Pagerank. Para entender melhor este conceito, veja o post feito pelo site MestreSEO acessando este link. Se sua página tiver um Pagerank de pelo menos 2 ou 3, já pode ficar feliz. Somente sites realmente influentes como Adobe, Google, Facebook, Joomla, US Goverment, chegam a 10. Você pode ver o Pagerank de qualquer página acessando aqui.

    Ao trocar de domínio ou mesmo de sistema (que são vinculados entre si), você perde toda a valorização que havia conseguido com publicidade. É como jogar todos os seus votos pela janela e recomeçar a campanha do zero novamente. Seria um desperdício, por isso é tão importante começar desde já num sistema onde haja perspectiva de crescimento.

    Temos alguns clientes que recebem mais de 500 visitas por dia vindo apenas do Google, e não precisam pagar nada por isso pois é tudo fruto do que eles investiram em publicidade (grátis ou paga) no começo do negócio. Costumo comparar uma loja com um avião comercial: para que ele decole, precisa-se de grande esforço dos motores. Porém, quando ele está no ar já voando, o esforço é bem reduzido. Por esse motivo o domínio pode ser comparado a um terreno em um bairro novo onde a tendência é sempre ser valorizado com o tempo.

    Formas de pagamento para minha loja

    Muitos lojistas tem dificuldade no começo das transações online por causa do pagamento. Esse assunto pode ser bem grande e seria material para um novo post, por isso vou ser bem breve sobre ele aqui.

    Você pode contratar diretamente bandeiras como Visa, Mastercard, Diners, Amex, etc, mas para isso são necessários ser pessoa jurídica e passar por alguns procedimentos do qual não conhecemos em detalhes. Caso deseje fazer desta forma, converse com o gerente de seu banco, eles terão o auxílio que você necessita.

    Mas se quiser algo mais simples e até mais em conta (perfeito para quem está começando), indico a leitura dos posts que nós fizemos a respeito:

    PagSeguro;
    PagSeguro sem juros;
    Pagamento Digital;
    PayPal;
    DineroMail;

    E mesmo para quem já trabalha com cartões recomendo a leitura dos posts acima.

    Dicas finais

    Aconselhamos a leitura dos seguintes posts:

    Anuncie gratuitamente no Buscapé;
    Frete dos Correios com descontos a partir de 30%;

    Bom, depois de algo tão extenso, caso tenha faltado algo essencial ou sobrado alguma dúvida, entre em contato.

    Espero ter ajudado.




    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...




    21/11/2011 | Jeann | 1 Comentário |

1 Comentario

  • Denison 11.21.2011

    Gostei muito do post!
    Estou me preparando pra migrar minha loja e encontrei muita informação relevante aqui.
    Obrigado!