Como vender pela internet

  • Olá,

    Acredito que todos que estão lendo este post já pensou, nem que por um momento, em tentar vender pela Internet, seja algo usado ou novo. Mas tão logo este pensamento vem, surge a dúvida “como vender na internet?”. Creio que hoje em dia o maior problema nem é tanto por falta de dinheiro para divulgação, pois até no Twitter e Facebook podemos conseguir vendas sem gastar um centavo. O que pesa é saber em qual ferramenta começar a focar, e acertar na estratégia de marketing. Afinal, cada ferramenta tem seu próprio universo. Antes de bolar qualquer estratégia é muito importante buscar informações e/ou fazer testes para descobrir onde está seu público. Neste post vou fazer um overview através de ferramentas gratuitas e pagas que podem lhe auxiliar neste processo.

    O que pretende vender pela Internet?

    Antes mesmo de buscar seu público, caso você ainda não tenha definido o quê exatamente vai vender, é bem legal escolher produtos inovadores que não tenham tanta concorrência, pois esses produtos costumam ter um boca a boca muito forte e tem uma tendência de “viralizar” pelas redes sociais mais facilmente. Vender produtos que estão sendo muito consumidos, como por exemplo um aparelho de TV, celulares e outros, faz com que seja mais difícil de conseguir algum destaque. Normalmente o que destaca este tipo de produto é o preço baixo, pois existem milhares de concorrentes vendendo a mesma coisa. E com essa onda de importar da China a competição fica ainda mais acirrada. É tentador querer vender produtos eletrônicos, mas o desafio pode ser bem grande e com baixa lucratividade, dependendo do meio de divulgação que escolher.

    Contrapondo-se a isso, se você encontrar um produto com algum tipo de exclusividade ou pouca concorrência – mas de grande procura – você terá uma boa lucratividade. E dependendo do caso, o próprio “boca a boca” pode lhe dar a sorte de “bombar” espontaneamente nas redes sociais. Eu sempre procuro produtos inovadores, e eles não são difíceis de serem encontrados. Você pode pesquisar em sites do exterior, e se achar algum interessante pode até conseguir trabalhar com o famoso “dropshipping“, que em resumo é um método de trabalho onde você vende um determinado produto, e a cada venda efetuada o próprio fornecedor faz o embalo e a entrega diretamente para o seu cliente. Pelos e-mails que recebo percebo que tem muita gente fazendo dropshipping a partir de fornecedores da China. Ha um tempo atrás trabalhei com isso através de um fornecedor brasileiro de cursos exclusivos de esportes. A qualidade dos produtos era excelente e o público-alvo eram professores e instrutores, mas a didática era simples o bastante para ser consumido por alunos também. A lucratividade era boa e os clientes simplesmente vinham, pois os cursos se “auto-vendiam” gracas à qualidade e exclusividade. No início até cheguei a fazer um esforço colocando vídeos introdutórios de cada produto no Youtube, mas foi só isso. Como minha relação com o fornecedor era de dropshipping, ao cair o pedido ele mesmo despachava para o cliente.

    Assim como já vendi produto sem concorrência, também já tive experiência com a venda de produtos de marcas conhecidas em uma franquia de lojas virtuais que eu possuía. A loja virtual contava, na época, com mais de 10.000 produtos. A própria franquia fazia a cobrança e entrega daquilo que eu vendesse. Nessa época eu resolvi focar em divulgar a linha de eletrodomésticos. Se for trabalhar com produtos que tenham muita concorrência é recomendável usar sites de comparadores de preço, como por exemplo o Buscape, Zura, Shopping Uol, dentre outros.

    Os comparadores de preço

    Você pode usar os comparadores de preço tanto para identificar se há alguém vendendo seu produto que imaginou ser exclusivo quanto para pesquisar como está a concorrência do produto que lhe gerará uma ótima lucratividade se vendida. Para anunciar nessa ferramenta é necessário ter uma loja virtual. Na época que eu vendia eletrodoméstico eu não via preços tão desiguais (diria até injustos) como agora, porque não era essa febre por importação da China (ao menos eu não via muito disso na época). Comecei a anunciar no Buscapé e Shopping Uol procurando sempre oportunidades com bastante concorrência em situações onde meu produto estivesse mais barato que todos. Isso deu muito certo porque a concorrência também era um indicativo de que vendia muito aquele item específico. Outra coisa legal é que o fato de eu estar anunciando ao lado de lojas grandes como Submarino e Americanas gerava uma credibilidade adicional, mesmo minha loja sendo nova e desconhecida.

    Outra coisa positiva também é que apenas lojas regulares com CNPJ poderiam se cadastrar no Buscapé naquela época. Houve uma vez em que, por um liquidificador estar vinte reais mais barato que a concorrência, vendeu mais de 10 unidades em minha loja. Por isso, se souber procurar qual dos produtos com bastante concorrência tem melhor preço, você pode ter uma boa alternativa para arriscar. Sites como estes não cobram comissão por venda (ao menos não os que vi até agora), mas cobram por visitante que mandar para sua loja. Vamos supor que você anuncie num destes comparadores, e seu produto entre no meio dos concorrentes. O usuário pode ver sua marca e seu produto milhares de vezes no site do comparador que você só pagará quando alguém clicar no link de sua oferta para ser direcionado para sua loja.

    O valor que você paga por cada clique varia bastante, mas uma média comum é a de R$ 0,60 (sessenta centavos). Esse valor do clique é você quem define, e quanto mais você estiver disposto a pagar, mais destaque sua oferta terá no site de comparação. Anunciar em comparadores é um investimento pré-pago. Você investe um valor fixo (se eu não me engano é um mínimo de R$ 100) e suas ofertas são exibidas até esgotar esse valor, seguindo sempre o preço por clique que você estipulou previamente.

    Anunciar em comparadores é muito bom, mas sempre existe o risco de perder dinheiro se mal gerenciado. Mas, saiba que mesmo que não tenha intenção de inicialmente anunciar em comparadores, eles são ótimas fontes de pesquisa para você entender mais sobre seu produto e seus concorrentes.

    O Mercado Livre

    Para começar a vender pela internet temos hoje sites como o Mercado Livre que é um dos sites de venda mais conhecidos atualmente, e não exige que você tenha sua própria página de vendas, podendo finaliza-las e fazer cobranças pelo próprio Mercado Livre. Para cadastrar seu produto com eles você não precisa pagar nada no plano mais básico, porém a cada venda feita paga-se uma comissão. O valor dessa comissão varia dependendo do plano de destaque que escolher. No mais básico você não tem muito destaque se comparado aos planos mais elevados. O legal de pagar planos de destaque é que, mesmo tendo que pagar logo no começo, ao vender você pagará menos comissão ao Mercado Livre.

    Muitas pessoas que querem começar vender pela internet acabam usando o Mercado Livre por ser um site bem conhecido e ele pode trazer resultados bem mais rápido que outras ferramentas gratuitas, mas isso também depende muito de seu produto. Alguns usam o Mercado Livre apenas como segunda opção para venda na Interner.

    Construção do publico com blog

    Uma das formas bem legais de começar a vender pela Internet é fazer um blog e começar a postar textos bem elaborados (e com certa frequência) que fale à respeito do universo dos produtos que vende. Muitas vezes as pessoas não sabem exatamente como usar e para que elas precisarão de algum determinado produto seu, e o blog sempre casa muito bem com isso. Já cheguei a ler posts que mostravam várias possibilidades de aplicação de um mesmo produto, agregando muito mais valor à ele. Dar este tipo de dica criativa é bem positivo. Quando você escreve sobre algo e o texto é bom – e se realmente ajudar as pessoas – você acaba conquistando a confiança de clientes e por vezes até fazendo amigos. Isso tende a crescer com o tempo se você tiver foco em sempre escrever coisas relevantes. Se você quer começar um blog gratuitamente recomendo a leitura do seguinte post escrito pela Brunna: Como criar um blog gratuitamente.

    Começar montando uma loja virtual

    Tem gente que quer começar a vender pela internet mas não quer nem saber de Mercado Livre e coisas do tipo. Preferem ir logo tendo sua própria loja virtual. Se este é seu caso saiba que hoje em dia existem diversas ofertas de sistemas para e-commerce. E sobre isso, recomendo muito a leitura desse artigo: O que saber antes de criar sua loja virtual.

    O universo do video

    Hoje em dia vender pela internet usando o Youtube é muito comum. Pelo que tenho lido e visto nos últimos anos, percebo que a forma de comunicação mais eficiente com relação à “passar mensagem e demonstrar as coisas” é através de vídeos. E o melhor de tudo,não pagamos nada para publica-los! Quando alguém faz um vídeo falando sobre algum produto e dando dicas sobre ele acaba por gerar um engajamento muito grande do publico. É muito comum ver videos de Análise de Produto como o mostrado abaixo feito pelo Tecmundo:

    É muito comum hoje ver vídeos com nome “Unbox + Review”, que nada mais são do que clientes que compraram algum produto e nem desembalaram ainda, optando por fazer isso diante da câmera, comentando e por vezes fazendo análises do produto. Tem gente que faz isso e acaba divulgando link do lojista na descrição. Nada impede que você, lojista, faça também uma analise de seus produtos em vídeo com link de vendas. Eu já fiz isso com os cursos que citei mais acima, e funcionou muito bem. Às vezes é ruim você ver um vídeo bem legal sobre algum produto e não ter nenhum link rápido na descrição pra comprar. O Tecmundo não tem link porque a venda não é o foco deles, mas os videos são tão úteis e explicativos que se tivesse link certamente fariam muitas vendas. Se você não quer falar ou aparecer no vídeo pode optar por algo mais rápido que só mostre os ângulos do produto. É claro que quanto melhor a câmera, mais positivo será o resultado. Usar videos hoje em dia soma demais nas vendas!

    Como descobrir tendencias

    Você pode conhecer muito sobre as tendências de seus produtos com ferramentas gratuitas. Uma delas é a fantástica ferramenta de palavras-chave do Google. Não pretendo me aprofundar à respeito pois existem inúmeras possibilidades, e o objetivo desse post é apenas apresentar possibilidades para que você possa seguir adiante e se aprofundar em alguma delas, caso deseje. Com essa ferramenta você pode saber a quantidade de pesquisas mensais que uma determinada palavra-chave recebe, podendo assim procurar por aquelas que mais tem relação com seu produto (e ver o volume de pesquisa por mês). Graças a essa ferramenta também é possível ver como está a concorrência de cada palavra-chave. Se fizer isso com frequência saberá por exemplo qual é o melhor assunto para abordar em seu blog, qual é o melhor termo para anunciar seus produtos, etc. E com isso, dependendo do resultado de suas pesquisas, você consegue até pegar traços psicológico do publico que digita determinado termo de palavra-chave. Depois de muito pesquisar, as intenções de cada grupo vão ficando cada vez mais claras, e você começa a notar quais são os que tem maior potencial em finalizar compras. Vou dar um exemplo simples: se tem gente procurando pelo termo “comprar celular E3VFD motorola” pode ter certeza de que essas pessoas já tem em mente aquilo que querem e sã mais qualificados do que alguém que esteja digitando apenas “Celulares motorola“. Este segundo pode estar simplesmente pesquisando por curiosidade.

    Então, se você pegar o habito de sempre pesquisar palavras-chave para construir suas descrições de produto e para escrever posts em blog (sempre usando-as no texto) poderá ter publicidade grátis no Google, pois ele indexará seu site/blog pelo uso das palavras-chave. Assim, você estará fazendo SEO (Search Engine Optimization) sem perceber. A prática de SEO é a otimização que se faz em sites para que apareça em posições de destaque no Google sem precisar pagar nada. Essa areá é extremamente ampla e nem falarei sobre isso aqui, mas se quiser se aprofundar, recomendo este pequeno curso gratuito.

    Tendo as palavras que lhe interessam você pode usar o site http://www.google.com/trends/ para verificar se existem épocas com picos de busca, isto é, se existe uma sazonalidade para a palavra (por exemplo, a palavra “páscoa” tem picos anuais de busca em meados de Março e Abril).

    Precisei falar destas ferramentas de palavras-chave porque ela dá base para o próximo assunto, que é…

    O maravilhoso universo Adwords

    O Adwords (da Google) é uma das ferramentas pagas mais interessantes para se começar a vender pela Internet. Em resumo, com esta ferramenta você pode conseguir sair no topo da busca de qualquer palavra que quiser pagando um determinado preço. A cobrança é semelhante aos comparadores: por clique. E da mesma forma que os comparadores, você só paga caso a pessoa que esteja pesquisando clique em seu anúncio e vá para sua loja. A ferramenta de palavras-chave apresentada anteriormente é extremamente importante para montar suas estratégias no Google Adwords. Com o Adwords, o céu é o limite, e além de divulgar em buscas do Google você também poderá anunciar no Youtube ou em muitos sites parceiros que usam o Google Adsense.

    O Adsense é um serviço de publicidade do Google que permite que ele coloque seu anúncio em vários sites parceiros. Estes parceiros também ganham por permitirem anúncios Google, e a média é de 50% do que o anunciante pagou ao Google pelo clique. Muita gente ganha bastante dinheiro com o Adsense, e se quiser saber mais recomendo um curso bem interessante a respeito: Segredos do Adsense. Pois então, como o Google divide a receita com a pessoa que permite colocar anúncios em seu site você pode escolher anunciar (através do Adwords) em qualquer site que seja parceiro do Google Adsense. Sempre tem aquele site que é muito relevante pra você e que vale à pena anunciar.

    Veja um vídeo falando da rede de display (forma como o Google chama a rede de sites parceiros):

    Além do display você pode anunciar no Youtube. O legal é que você só paga se seu vídeo for visto até o final. Caso o visitante clique em “sair” ou “pular propaganda” você não paga. Veja uma outra animação do Google apresentando isso:

    Outro recurso extremamente interessante de anunciar no Adwords é o remarketing que permite que busque atingir as pessoas que já tiveram algum tipo de interação com sua loja, veja o vídeo abaixo:

    Recomendo muito estudar bastante sobre Adwords, e o Google já disponibiliza muito material gratuito. Mas se você quer algo já bem organizado e sequencial recomendo um curso que já fiz e foi extremamente bom: NinjaPPC. Provavelmente farei um post só falando do Adwords futuramente. Recomendo também que veja os videos deste canal http://www.youtube.com/user/cursosdoadwords.

    Mas é só isso?

    Isso que apresentei nesse post é apenas a uma pequena introdução de um imenso universo de possibilidades que existem, e ainda nem deu para falar de algumas redes sociais e outros sites. Provavelmente farei uma “parte 2” deste post assim que possível.

    Abraço!




    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...




    01/03/2013 | Jeann | Sem Comentários |